Poemas

“O aterro”, um poema de T. E. Hulme

(A fantasia de um cavalheiro arruinado numa noite fria e amarga.)

Certa vez, o êxtase senti no sutil dos violinos,
no brilho dos saltos de ouro sobre o duro piso.
Agora vejo
que o aconchego é a essência da poesia.
Ó, Deus, torna pequena
a manta do céu carcomida pelos astros,
para que nela eu me envolva e durma confortável.

[Tradução de Pedro Lucas Rego e Kalew Nicholas.]

(The fantasia of a fallen gentleman on a cold, bitter night.)

Once, in finesse of fiddles found I ecstasy,
In the flash of gold heels on the hard pavement.
Now see I
That warmth’s the very stuff of poesy.
Oh, God, make small
The old star-eaten blanket of the sky,
That I may fold it round me and in comfort lie.

[1912]

Quem foi T. E. Hulme?

Thomas Ernest Hulme foi um poeta, crítico, ensaísta e soldado inglês, nascido 1883 e morto em combate em 1917. Foi o precursor do movimento imagista, normalmente atribuído a Ezra Pound.

Tem interesse em saber mais sobre poesia? Você pode assinar gratuitamente nossa newsletter clicando aqui!

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *